Publicado em 26 mai 2020

O papel dos Recursos Humanos nas crises

Redação

Essencialmente o foco de Recursos Humanos neste momento de crise deve ser as pessoas, englobando atitudes de prevenção física e mental, e não apenas os números. Este é um paradigma que tende a mudar com toda esta questão da pandemia.

Patrícia Punder  - 

O custo de uma decisão errada é muito difícil de ser calculado, principalmente em tempos de crise, quando todos os olhos estão voltados para os comportamentos das empresas. As empresas exercem uma função social na sociedade e, principalmente, na economia de um país.

Sendo assim, o impacto das decisões tomadas pelo Comitê de Crise inevitavelmente será transferido para a percepção que os colaboradores, acionistas, clientes e público em geral possui sobre a empresa. Deixar de considerar esta percepção antes de uma tomada de decisão significa jogar contra o próprio negócio. E pode sair caro demais para a sustentabilidade futura da empresa.

Quando pensamos no papel de Recursos Humanos nos Comitês de Crise de uma empresa, a primeira coisa que deve ser levada em consideração, independentemente se a empresa for nacional ou internacional, familiar ou profissionalizada, é que a liderança se trata muito mais do que um título, privilegio ou dinheiro, mas de responsabilidade. A responsabilidade do departamento de Recursos Humanos, consequentemente, será ajudar a liderança na tomada de decisões para que elas sejam mais humanizadas.

O presidente, ou CEO, normalmente assume a cara do Comitê de Crise, centraliza todas as informações, tanto para o público interno e externo. E o suporte de Recursos Humanos será essencial para lembrar o executivo que o papel da empresa não é apenas gerar lucro, mas ter continuidade ao l...

Target

Facilitando o acesso à informação tecnológica